Agamenon Almeida

A vida é a arte do possível na busca do impossível.

Textos


MADRUGADA

Eu vivi esta madrugada.
Ibiaporã, 1968.



Trepado em um pé de flamboiam
Cantava um poeta apaixonado
Fantasma, flutuando entre as sombras
A procura do ser enamorado

Madrugada de beleza fulgurante
Lua intensa, brilhando, cor de prata
Só o silêncio escutava aquela voz
Na delirante canção que dedicava

“A minha sorte foi tirana e a desdita”
Mas de desdita ali não tinha nada
Tanta beleza estimulava aquele ator
Que só sofria para o deleite da madrugada.

Tudo tinha um efeito encantado
Uma magia, impossível conceber
Mas o poeta se encanta e se inebria
Mesmo que seja incapaz de descrever.

Agamenon Almeida
Enviado por Agamenon Almeida em 10/02/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras